Melhor Chope

Posted on December 2nd, 2009 by Ricardo Antunes da Costa  |  Comments Off

Revista Veja elege a Academia da Cerveja o melhor chope da grande Florianópolis.

A Academia da Cerveja foi eleita pela revista Veja o melhor chope da região.  Totalmente merecido.  Às quintas-feitas, mesmo, deveria ser hours-concours.

Parabéns aos amigos Eduardo Mattos e Eli Bernardino Coelho Júnior.

Por que o Sport Club do Recife é o campeão brasileiro de 1987?

Posted on December 1st, 2009 by Ricardo Antunes da Costa  |  3 Comments »

Com a proximidade de mais um título brasileiro do C.R. Flamengo, a velha polêmica de quem foi o campeão brasileiro de 1987 volta à baila, depois que clube pernambucano ameaçou processar todo veículo de comunicação que chamar o Flamengo de Hexa-Campeão, caso o mesmo venha a ganhar o título de 2009.

Ao longo dos últimos 22 anos, defendi sempre que o campeão brasileiro de 1987 é o Sport.  Durante esse período ouvi vários argumentos defendendo o título do Flamengo.  Escrevo este texto para refutar os principais argumentos dos defensores do clube carioca, baseado nas informações que li e ouvi durante todo esse período, e também em um pouco de lógica.

Como começou essa confusão?

Até 1986 os critérios para a disputa do Campeonato Brasileiro eram baseados em dois fatores: classificação do clube no campeonato estadual e, principalmente, política.  Por causa da política, o campeonato era inchado e deficitário, chegando ao cúmulo de termos mais de 90 participantes em 1979.

Os grandes clubes, insatisfeitos com a situação, pressionaram a CBF para enxugar o brasileirão.  A mesma incluiu então, no regulamento do campeonato de 1986, um item que dizia que os 32 melhores colocados no campeonato de 1986 disputariam a primeira divisão em 1987, sendo os demais automaticamente rebaixados para a segunda divisão.

Porém, no meio do campeonato, o Joinville conseguiu no STJD os 2 pontos de um jogo contra o Sergipe, que havia escalado um jogador irregular.  Esses 2 pontos classificavam a equipe catarinense, eliminando o Vasco da Gama, que entrou na justiça comum para cassar a  decisão do STJD.

O time catarinense usou do mesmo recurso, o que fez a CBF decidir classificar os dois clubes, e eliminar a Portuguesa.  Os clubes paulistas ameaçaram então abandonar o campeonato, caso a Portuguesa fosse eliminada.  A CBF então decidiu classificar 36 clubes, em vez dos 32 previstos no regulamento, alterando a tabela do campeonato no meio da disputa.

E o que isso tem a ver com o campeonato de 1987?

Bem, o regulamento do campeonato de 1986 previa que as 32 melhores equipes disputariam a primeira divisão em 1987, mas 36 equipes foram classificadas para a segunda fase.  Baseado nesse argumento, o Coritiba Foot Ball Club, equipe que conquistou o campeonato brasileiro de 1985, mas fez péssima campanha no ano de 1986, entrou na justiça comum, alegando que a CBF não teria moral para rebaixá-lo, uma vez que não fez isso com o Vasco.

O clube paranaense ganhou a liminar, e em seguida a CBF alegou que não poderia organizar o campeonato brasileiro de 1987 por falta de recursos financeiros.  O resto da historia todos já conhecem: os treze clubes mais populares do Brasil se uniram para organizar o campeonato de 1987 no lugar da CBF, que reconheceria o campeão como campeão brasileiro, exigindo apenas que mais 3 equipes, (Coritiba, Goiás e Santa Cruz), fossem convidadas a disputar o torneio, totalizando assim 16 equipes.

O Clube dos 13, com apoio da Rede Globo, investiu forte no marketing do novo campeonato, conquistando patrocinadores como a Coca-Cola, que colocou sua marca na camisa de todos os clubes que no momento não tinham contrato assinado com outro patrocinador.

Obviamente essa decisão descontentou os clubes que ficaram de fora do campeonato, incluindo o então vice-campeão brasileiro Guarani, bem como o terceiro colocado no ano anterior, o América carioca.  Além de Criciúma, Portuguesa, Inter de Limeira e Joinville, que ficaram entre os 16 melhores no ano anterior e, se respeitado o regulamento, deveriam disputar a primeira divisão em 1987.

Pressionada por estes clubes, a CBF resolveu a questão, organizando o “módulo amarelo” com mais 16 clubes, e criando um cruzamento, entre os dois primeiros colocados da Copa União e os dois melhores do “módulo amarelo”, para decidir o campeão brasileiro de 1987.

Foi realizada então uma reunião da CBF com o Clube dos 13, que foi representado pelo Eurico Miranda.  Eurico aceitou a proposta da CBF de realizar o quadrangular, e assinou a alteração do regulamento.  Porém, quando o Clube dos 13 foi informado que Eurico aceitara a mudança, decidiram em conjunto boicotar a alteração, e não disputar o quadrangular.

Assim, o Flamengo venceu a Copa União, com o Internacional sagrando-se vice campeão, enquanto Sport e Guarani empataram na decisão do Módulo Amarelo, após uma decisão por pênalties que nunca acabou.  O cruzamento foi realizado, porém Flamengo e Internacional não compareceram aos seus jogos, perdendo os mesmos por W.O.  Sport e Guarani realizaram nova decisão, vencida pelo clube pernambucano, que recebeu a famosa “taça das bolinhas”, e disputou, junto com o bi-vice Guarani, a Libertadores de 1998.

Depois disso a disputa pelo titulo de campeão brasileiro foi parar na justiça comum, que deu ganho de causa à equipe pernambucana.   Assim, mesmo que quisesse reconhecer o Flamengo como campeão brasileiro de 1987, a entidade não poderia, devido à decisão judicial.

Mas não é injusto o campeão da primeira divisão disputar o título com o da segunda?

Em teoria sim, mas na prática a Copa União não se consistia na “primeira divisão”, e sim num torneio criado para substituir o campeonato brasileiro de 1987, com a participação das equipes do Clube dos 13, mais três equipes convidadas.  Para ser de fato a “primeira divisão”, a Copa União deveria ter levado em consideração a classificação do campeonato brasileiro de 1986, e incluído as equipes do Guarani, América-RJ, Criciúma, Portuguesa, Inter de Limeira e Joinville.

Isso se não levarmos em conta que a Copa João Havelange, organizada pelo mesmo Clube dos 13 no ano 2000, permitia esse cruzamento, tanto que um dos finalistas foi o São Caetano, VICE-Campeão do módulo equivalente à Segunda Divisão.

Mas na época os participantes do campeonato brasileiro não eram definidos pelos critérios técnicos!

De fato, até 1985, muitos critérios políticos foram utilizados para definir os participantes do campeonato brasileiro.  Havia, porém um critério técnico, que era a classificação das equipes no campeonato estadual.  Isso permitia aberrações como o fato do Coritiba ter sido semi-finalista em 1980, e não disputar o campeonato em 1981, por ter ido mal no estadual daquele ano.

Outros clubes, mesmo tendo ido mal no estadual, entravam no torneio via convite.  Porém o regulamento do campeonato brasileiro de 1986 previa critérios técnicos para a seleção das equipes que disputariam o campeonato brasileiro de 1987, o que não foi respeitado pelo clube dos 13.

Além disso, na época era comum o campeão da segunda divisão (a então chamada Taça de Prata) disputar as finais do Campeonato Brasileiro do mesmo ano, e também mudanças de regulamento no meio do torneio, como aconteceu em 1986.  Se fomos usar os “costumes da época” para definirmos o campeão, temos que levar esses fatos em consideração.

Mas o regulamento foi mudado com o campeonato em andamento…

De fato, a alteração se deu após o inicio da Copa União.  Porém ela foi aceita pelo Clube dos 13, através de seu representante Eurico Miranda.  O fato do mesmo ter sido desautorizado pelo Clube depois, não muda em nada o fato da alteração ter sido legalmente aceita pela entidade.

Mas mudar o regulamento no meio do campeonato não é ruim?

É sim.  Mas essa alteração pelo menos seria uma reparação da CBF aos clubes que foram alijados da disputa da primeira divisão em 1987.  Ainda assim uma reparação medíocre, visto que o dinheiro de TV e patrocinadores estavam mesmo na Copa União, ou seja, mesmo com a possibilidade de disputar o título brasileiro e a Libertadores no ano seguinte, as equipes do módulo amarelo, especificamente as que ficaram entre os 16 melhores em 1986, foram seriamente prejudicadas financeiramente.  Aliás, foi pro isso que o próprio América do Rio recusou-se a jogar o Módulo Amarelo, achando a solução encontrada pela CBF insatisfatória.

Ah, mas o que importa se a CBF considera o Sport campeão?   A opinião deles não vale nada pra mim…

Na verdade a CBF não tem a opção de considerar o Flamengo campeão.  A questão já foi resolvida na justiça comum brasileira, ou seja, de fato e de direito o campeão brasileiro de 1987 foi o Sport.

Mas na época todos trataram a Copa União como a primeira divisão!

A Rede Globo era parceira do Clube dos 13 na organização e transmissão do campeonato.  Por isso é obvio que a mesma tomaria partido da Copa União.   O fato é que depois, judicialmente, o título brasileiro foi dado ao clube pernambucano.

É como, por exemplo, na corrida dos 100 m rasos das Olimpíadas de Seul, em 1988.  Ben Johnson ganhou a corrida e levou a medalha.  Foi tratado por todos como campeão e recordista mundial.  Logo depois, porém, verificou-se que o mesmo havia se dopado, e seu título foi cassado.  Não vejo ninguém ainda dizendo que o medalhista de ouro naquela prova é o canadense.

——————————————————————————————————————————————————————–

Por todos esses fatos, o Sport Clube do Recife é o campeão brasileiro de 1987.  Na verdade a decisão judicial em seu favor decidiu a questão, porém muitos ainda insistem em defender o título do Flamengo.  Por isso, esse texto para encerrar de vez minha participação nesse debate. Em vez de escrever tudo mais uma vez, simplesmente irei postar um link para cá sempre que necessário.

Mas obviamente responderei os comentários aqui realizados, se for o caso.

Mulheres Cervejeiras

Posted on November 19th, 2009 by Ricardo Antunes da Costa  |  Comments Off

Hoje teremos uma novidade na 5a Bica da Academia da Cerveja: Pela primeira vez será servida na casa um chopp caseiro feito por uma mulher, Amanda Reitenbach, mestranda em Engenharia de Alimentos da UFSC.

As mulheres já foram as responsáveis pela fabricação de cerveja, quando a mesma era produzida nas residências para consumo familiar.  Com o início da comercialização das cervejas, a produção passou para as mãos dos homens, pois na época às mulheres,em geral, era reservado apenas o trabalho doméstico.

Felizmente, com os tempos modernos, aos poucos o número de mulheres que produzem cerveja caseira está aumentando.  Algumas até já estão se organizando e se reunindo frequentemente, como as meninas da FemAle Carioca.  (Achei o nome do grupo excelente, por sinal).

E quem for hoje na Academia terá a oportunida de provar a Witbier feita pela Amanda, a primeira mulher a figurar na 5a Bica.  Eu pretendo ser um deles, só espero que consiga chegar à tempo, porque a bica costuma secar rápidinho.  O chopp da Amanda começa a ser servido às 20 horas.

Coritiba Foot Ball Club – 100 Anos -1909-2009

Posted on October 12th, 2009 by Ricardo Antunes da Costa  |  659 Comments »

Coxa 100 Anos

Há exatos 100 anos, um grupo de jovens descendentes de alemães foi até Ponta Grossa pra jogar uma partida de futebol.

Esse foi o jogo inaugural do primeiro clube de futebol do estado do Paraná, que nas décadas seguintes se tornaria o principal e mais vencedor clube do estado, conquistando a hegemonia no seu estado natal, e se tornando o primeiro clube paranaense a se tornar campeão brasileiro.

Para homenagear o centenário Coritiba Foot Ball Club, que hoje completa 100 anos, segue abaixo um texto de minha autoria que já foi publicado no site Coxanautas, e também no hot-site Coxa 100 Anos.  Esse texto conta a história de um torcedor Coxa que nunca morou na cidade de Curitiba: eu.

Parabéns, Coritiba.  Que os próximos 100 anos sejam tão (ou mais) gloriosos que os primeiros.

Read the rest of this entry »

oBIERcevando

Posted on October 1st, 2009 by Ricardo Antunes da Costa  |  Comments Off

Esse blog, pra variar, vai devagar, quase parando…  Assunto pra falar sobre cerveja não falta, mas tempo para escrever é mais raro.  Felizmente existem outros blogueiros que escrevem com maestria sobre o assunto.   O link para esses blogs já deveriam estar ali do lado, mas…

Um deles é o blog oBIERcevando, do Paulo Feijão.  O Paulo reside em Blumenau-SC, local privilegiado para um apreciador de cervejas, mas nem por isso limita sua atuação pela região do Vale do Itajaí,  e já é conhecido nacionalmente por seu trabalho como cervejólogo.

Pois agora o Feijão está com um novo projeto para o oBIERcevando, que após alguns anos hospedado no Blogspot, ganha agora domínio próprio: www.obiercevando.com.br

E ele já promete, para amanhã, a cobertura do primeiro dia da Oktoberfest 2009.  Não perca.

Arthur’s Day

Posted on September 24th, 2009 by Ricardo Antunes da Costa  |  Comments Off

Guinness

Hoje a cerveja mais famosa do mundo completa 250 anos, no chamado Arthur’s Day. Arthur Guinness é o fundador da cervejaria irlandesa em 1759.  Desde então a cerveja Guinness virou sinônimo de Stout.

Com certeza beberei um pint de Guinness hoje na Academia da Cerveja, para celebrar essa histórica data.

Quinta Bica de 10/09/2009

Posted on September 10th, 2009 by Ricardo Antunes da Costa  |  Comments Off

Apesar da minha ausência no blog,  por absoluta falta de tempo, a 5ª Bica da Academia da Cerveja continua.  Semana passada foi a vez dos “alunos” da Academia provarem o chopp Indica, da Cervejaria Colorado, de Ribeirão Preto-SP.  Trata-se de um chopp India Pale Ale, com adição de rapadura.  Pelo que soube, o barril não demorou a secar.

E hoje é a vez da Cervejaria Schornstein aprensentar seu novo chopp Weiss.   Esse chopp de trigo é a mais nova adição ao portifólio da cervejaria de Pomerode, se juntando aos chopps Pilsen, Pilsen Filtrado, Pale Ale e Bock, além do sazonal Imperial Stout, produzido em parceria com o cervejeiro caseiro Rafael Tonera.

E eu finalmente poderei apreciar o chopp da 5ª Bica, após 7 semanas de ausência.  E, por curiosidade, o último chopp que  provei foi justamente o Imperial Stout da Schornstein.

Workshop Produção de Cerveja Artesanal

Posted on August 20th, 2009 by Ricardo Antunes da Costa  |  Comments Off

No último sábado, 15 de agosto, foi realizado em Florianópolis mais um Workshop Produção de Cerveja Artesanal da ACervA Catarinense.

Infelizmente compromissos profissionais impediram minha participação, (pela segunda vez nesse ano), mas pelos comentários da lista de e-mails cervejeirosfloripa, o evento foi mais um sucesso da ACervA, e novos cervejeiros caseiros devem surgir.

Algumas fotos do evento podem ser vistas aqui.

Quinta Bica de 13/08/2009

Posted on August 13th, 2009 by Ricardo Antunes da Costa  |  Comments Off

Hoje, na Quinta Bica da Academia da Cerveja, o excelente chopp Bock da cervejaria Schornstein, de Pomerode-SC.

Uma ótima opção para uma noite de inverno.

IV Concurso Nacional de Cervejas Artesanais

Posted on August 11th, 2009 by Ricardo Antunes da Costa  |  Comments Off

O Concurso Nacional de Receitas Artesanais chega à sua quarta edição.

A duas primeiras edições foram organizada pela ACervA Carioca.  No ano passado, foi a vez da ACerva Mineira organizar o evento.

Esse ano o concurso é organizado novamente pela ACervA Carioca.  São 4 estilos que em disputa:

O regulamento já está disponível, as inscrições vão até 11/09/2009, e a divulgação dos resultados será em 11/10/2009, em uma grande festa promovida pela organização.

Com certeza grandes cervejas disputarão o “Brasileirão” das Cervejas Artesanais.

 

Bad Behavior has blocked 482 access attempts in the last 7 days.